Secretarias

Nota Fiscal

Transparência

Diário Oficial

Serviços

IPMQ

Serviço de poda técnica iniciado no Complexo Cultural de Machadinha

Uma equipe multidisciplinar da empresa licitada composta por cinco profissionais, dentre eles, engenheiro, arquiteto, arqueólogo, historiador e conservador, esteve no Complexo Cultural da Fazenda Machadinha, na última semana. O intuito foi iniciar os serviços complementares de poda técnica no entorno da Capela de Nossa Senhora do Patrocínio e nas ruínas, que foi acompanhado pelo fiscal de meio ambiente da Prefeitura.
Os colaboradores envolvidos no projeto, aproveitaram a vistoria para fotografar o local, anexando as plantas baixas e a pesquisa histórica, a comprovação necessária do cumprimento das exigências. O projeto adequado de restauração da capela, com o embasamento necessário, será entregue, a fim de que o INEPAC – Instituto Estadual de Patrimônio Histórico, libere o quanto antes, a futura reforma dos patrimônios locais.
No projeto da capela, está incluso a instalação de para-raios, o projeto hidrossanitário, que é um dos elementos mais importantes da obra, como o nome diz, hidro = água; sanitário = relativo à saúde, que consiste, basicamente, no mapeamento de toda a rede de encanamento. Também tem a drenagem, ato de escoar as águas de terrenos encharcados por meio de tubos, túneis, canais, valas e fossos, além da prevenção e combate a incêndio.
Para o autor e responsável técnico do projeto, o arquiteto e urbanista, Jean Azevedo, esta contratação da empresa para elaboração do planejamento executivo de restauração, arquitetura e complementares, com laudo estrutural e acompanhamento arqueológico tanto da Capela, quanto das Ruínas do Solar da Fazenda Machadinha, ambos integrantes arquitetônicos e tombados, facilitarão a liberação do Instituto Estadual.
“Com a término dos projetos e a aprovação do INEPAC, será possível fazer um cronograma de obras para restaurar esse patrimônio histórico que agrega valores a comunidade quilombola. Os remanescentes que vivem no local, fazem parte do patrimônio imaterial, residindo do lado direito de quem chega a comunidade e bens valorados do lado esquerdo”, declarou o historiador e conservador, Bruno Perrone.

Galeria de Fotos