Secretarias

Nota Fiscal

Transparência

Diário Oficial

Serviços

IPMQ

Saúde promove ações pelo Dia de Combate ao Diabetes

No próximo dia 14, data em que é comemorado o Dia Mundial de Combate ao Diabetes, diversas ações serão realizadas em Quissamã. As atividades serão promovidas pela secretaria de Saúde, por meio do Programa de Controle da Hipertensão Arterial e Diabetes, em parceria com a Programa de Atenção à Saúde do Homem. A programação será realizada durante toda semana, com atividades educativas e de rastreamento da doença entre a população.
No Centro de Saúde Benedito Pinto das Chagas haverá treinamento para médicos e enfermeiros da Estratégia Saúde da Família. Já nas Unidades da Atenção Básica será realizado rastreamento de novos casos, através da verificação da glicemia capilar, aferição da pressão arterial e orientações para prevenção, tratamento e cuidados com a diabetes.
A coordenadora do Programa de Hipertensão e Diabetes, Zeide Lobo, pede que toda a população procure as unidades de saúde para o esclarecimento de possíveis dúvidas, em especial pessoas que fazem parte dos grupos de adultos, hipertensos, obesos, fumantes, sedentários, e mulheres que desenvolveram diabetes durante a gestação.
“A Associação Mundial de Saúde alerta que a previsão é de que em 2025 o país tenha 25 milhões de casos de diabetes. Por isso, é fundamental que as pessoas se consultem, façam exames de rotina e mantenham uma rotina de vida saudável. As pessoas estão perdendo esse hábito de ir ao médico e muitas vezes só procuram as unidades quando estão com casos já agravados e isso nos preocupa bastante”, pontuou Zeide, acrescentando ainda que a população precisa entender a importância de manter uma alimentação saudável, praticar exercícios e parar com uso de tabaco.
Zeide Lobo explica que a Diabetes Mellitus “DM” refere-se a um transtorno metabólico de etiologias heterogêneas, caracterizado por hiperglicemia e distúrbios no metabolismo de carboidratos, proteínas e gorduras, resultantes de defeitos da secreção e/ou da ação da insulina. “Para a saúde individual, pode-se afirmar que a diabetes mellitus é hoje a maior causa de amputações de membros inferiores não traumáticas, além de acarretar o desenvolvimento de complicações graves como insuficiência renal crônica, retinopatia diabética (cegueira), e doenças do aparelho cardiovascular, como enfarto e acidentes vasculares, que podem incapacitar o indivíduo para atividades de trabalho, sociais ou familiares”, explicou Zeide.
A coordenadora informa ainda que segundo o site da Associação Nacional de Atenção ao Diabetes (ANAD), mais de 425 milhões de pessoas estão, atualmente, vivendo com a doença. “A maioria desses casos é de diabetes Tipo 2, que é amplamente evitável por meio de atividades físicas regulares, uma dieta saudável e equilibrada, e a promoção de hábitos saudáveis. As famílias têm um papel fundamental a desenvolver na abordagem dos fatores de risco modificáveis para o diabetes Tipo 2 e devem receber educação, através dos profissionais de saúde, para que se possa desenvolver hábitos para um estilo de vida saudável”, completou Zeide.

Galeria de Fotos