Rua Conde de Araruama, 425 – Centro Quissamã – RJ – Cep: 28.735-000

Tempo Agora

Secretarias

Nota Fiscal

Transparência

Diário Oficial

Serviços

Ouvidoria e E-sic

Reunião ampliada do Conselho discute e elabora propostas sobre a Saúde da Mulher

A Prefeitura de Quissamã, através da secretaria de Saúde, e o Conselho Municipal de Saúde reuniram nessa quinta-feira (27), no auditório do Instituto Federal Fluminense – IFF, mulheres dispostas a discutir e traçar metas para elaboração de propostas para o fortalecimento da Política de Atenção à Saúde das Mulheres, para envio a uma discussão maior na Conferência Nacional de Saúde das Mulheres.
A prefeita Fátima Pacheco, o secretário de Saúde, Linaldo Lyra e o presidente do Conselho, Marciano Azevedo, compuseram a mesa de abertura e falaram aos participantes. “Estamos discutindo desafios e não meros obstáculos, porque entendemos que desafios são questões que são colocadas, muitas vezes por nós, na busca de um objetivo maior. E os obstáculos, às vezes, nos fazem parar, diferentemente dos desafios que nos impulsionam e sempre nos fazem melhorar”, afirmou Linaldo.
“Esse tema é amplo e muito importante e tem ser debatido, também, no dia a dia em nossa prática de trabalho. Estamos discutindo a saúde da mulher e, quando a gente fala de saúde, não podemos olhar num contexto isolado. Porque para ter saúde, uma série de fatores precisam estar articulados e funcionando para que possamos ter uma vida saudável. Então, esse tema é muito rico e merece um olhar todo especial de nossa parte. A gente não oferta saúde apenas quando oferta comprimidos, exames, consultas. Precisamos articular a rede, trabalhar junto à Assistência Social o combate a pobreza, ao desemprego, a falta de acolhimento dessas pessoas. Ver com o Esporte, a oferta de atividades nas comunidades, no parque aquático. Levar os alunos a ocuparem os contra-turnos nas escolas e tirá-los das ruas, porque hoje a nossa pior doença é a violência”, expôs a prefeita.
A palestrante do dia foi a enfermeira e professora Doutora Cássia Quelho Tavares, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – Campus Macaé, que apresentou o tema ‘Saúde das Mulheres: desafios da integralidade com equidade’. Sua participação foi uma conversa, uma reflexão já que, segundo ela, o município está organizado nas suas estruturas, nas discussões de eixo em relação à reunião ampliada do Conselho. Sua reflexão mostrou como o município pode se organizar em relação às políticas públicas de saúde da mulher, os desafios, os caminhos novos que se abrem.
A enfermeira do Programa de Saúde, com assistência à saúde da mulher, Cristiane de Souza apresentou, na sequência, os indicadores de morbimortalidade e demográficos referentes às mulheres, no município. Apresentou a rede de saúde, como cada dispositivo e serviço atua, e mostrou os trabalhos que vem sendo desenvolvidos, fazendo comparativos entre os quadrimestres.
Coordenadora da equipe que geriu o evento, a assessora de Planejamento da secretaria de Saúde, Doutora Delba Machado Barros, esclareceu que essa foi uma etapa preparatória para a Conferência Nacional, aberta à população, para pensar propostas para melhorias da saúde das mulheres no município. “Entendendo que o conceito de integralidade é um conceito amplo, que remete não só para ações de prevenção e promoção à saúde, mas com ações também de maior complexidade, que exigem que a gente pense a saúde de uma maneira mais abrangente e com os municípios da região”.
Essa etapa municipal, segundo ela, é um dia de trabalho para levar propostas para uma discussão regional, para ampliar os serviços de saúde oferecidos às mulheres. E, pelos indicadores apresentados pelo município, foi observado que é possível melhorar desde que oferecido acesso a determinados serviços e isso deve ser pensado de forma regional, como o de mamografia, que hoje é ofertado no município do Rio de Janeiro e muitas mulheres se recusam a se deslocar tanto para um exame tão breve. Outro ponto, disse ela, é pensar em propostas de saúde da adolescente, sobretudo sobre a maternidade precoce, que acontece de 15 a 19 anos, que merece uma pesquisa para identificar o porque disso e que tem como conseqüência, muitas vezes, o abandono da escola, o subemprego.
Na seqüência aconteceram grupos de trabalho, apresentação das propostas de implementação da Política Municipal e Regional de Atenção Integral à Saúde das Mulheres; definição dos delegados para a Regional; e definição de dois conselheiros para treinamento no Sistema de Apoio à Construção do Relatório de Gestão -SARGSUS.

Galeria de Fotos