Secretarias

Nota Fiscal

Transparência

Diário Oficial

Serviços

IPMQ

Quissamã vai disponibilizar doses da vacina contra febre aftosa

Com foco na saúde do animal e também na saúde pública, a prefeitura de Quissamã, por meio da Secretaria de Agricultura, Meio Ambiente e Pesca disponibilizará aos pequenos produtores doses gratuitas de vacina contra a febre aftosa. Para ter acesso ao serviço, o proprietário deve se dirigir ao Posto de Defesa Agropecuária, no Parque de Exposição Renato Queiros Carneiro da Silva, de segunda a sexta-feira das 8 h às 16h30, e fazer o pré-cadastro. Aqueles que não se cadastrarem devem adquirir as doses nas lojas especializadas. O prazo para vacinação vai até o dia 31 de maio.
Após a vacinação, os proprietários têm até o dia 10 de junho para apresentar no Posto de Defesa Agropecuária do município, a nota fiscal da vacina e a relação dos animais imunizados, para declarar a imunização.
A Prefeita Fátima Pacheco esclarece que a meta é ter 100% do rebanho vacinado. “É uma vacina de grande importância e pra gente é uma satisfação poder contemplar os pequenos produtores com doses gratuitas, o que não acontecia há alguns anos. É importante que os produtores se atentem ao prazo de vacinação e, se houver qualquer dúvida, procure a secretaria de Agricultura”, disse
Miguel Ângelo, do Posto de Defesa, explica que ao fazer a aquisição da vacina na loja credenciada, o pecuarista precisa pegar a nota fiscal da vacina com o fornecedor do produto e apresentá-la ao serviço veterinário oficial do município. “É importante destacar que a Campanha é obrigatória a todo produtor e esse trabalho de prevenção com a saúde do animal, através da vacinação, acarreta na qualidade da carne na mesa do consumidor. Outra informação é que a vacina passou de 5ml para 2ml e deixou de ser oleosa para ser aquosa, tendo assim maior aceitação pelo animal, além de evitar a perda de peso e febre”, disse.
O secretário de Agricultura, Meio Ambiente e Pesca, José Borba explica que a vacina contribui para que o rebanho se mantenha sadio e dessa forma, garantindo aos munícipes o fornecimento de carne e derivados com qualidade. “Além disso, a disponibilização de dose gratuitas aos pequenos proprietários é a confirmação de mais uma preocupação da Prefeitura com a saúde pública, uma vez que a saúde humana perpassa pela saúde animal”, disse o secretário acrescentando que sem o comprovante de vacinação, o produtor não obtém a Guia de Transporte Animal (GTA) e, sem o documento emitido pelo Núcleo de Defesa Animal da Fiscalização Sanitária, o animal não pode ser transportado.

Galeria de Fotos