Secretarias

Nota Fiscal

Transparência

Diário Oficial

Serviços

IPMQ

Quarto LIRAa aponta baixo risco de infestação para Aedes aegypti em Quissamã

O 4º Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa) realizado pela Prefeitura de Quissamã, neste mês agosto, registrou um índice de infestação predial de 0.03%, considerado baixo risco. E embora o Estado preconize que sejam realizados quatro levantamentos por ano, Quissamã faz cinco. O LIRAa é a principal ferramenta que a Vigilância Ambiental utiliza para planejar a estratégia dos programas de combate ao mosquito transmissor da dengue, zika, chikungunya e febre amarela.
Mesmo nesse período de pandemia da Covid-19, os agentes de endemias realizam visitas diárias nas residências com o objetivo de identificar possíveis focos do Aedes. São duas equipes, uma na zona rural e outra na central. São 11 profissionais atuando na área, cada um visita, por dia, aproximadamente 45 casas, totalizando 495 imóveis.
– É um resultado muito bom levando em conta todos os esforços da gestão em manter a cidade livre das doenças que são causadas pelo mosquito. É importante que a população continue fazendo o seu papel, limpando seus respectivos quintais, ficando atenta aos vasos de plantas e mudando hábitos como deixar de jogar lixo nas ruas e franqueando a entrada dos agentes para revisão – ressaltou Janaína Isidoro, chefe da Divisão de Vigilância Ambiental.
A agente de endemia Aline Ribeiro passa dicas relevantes. “O cuidado é independente da época, mas, após as chuvas, é necessário verificar se tem água empoçada ou em depósitos. É preciso vedar bem as cisternas, cuidar das flores como bromélias, entre outros”, orienta.
Juliana Aprigio, moradora de Caxias, recebeu a visita do agente Luiz Pinto, na manhã desta quinta-feira (19) e agradeceu pelo cuidado que o município tem com os moradores. “O governo está sempre à frente, querendo prevenir os problemas e as visitas com orientações são de suma importância”, afirmou.
Índices – De acordo com o preconizado pelo Ministério da Saúde, o nível de infestação menor que 1% é considerado de baixo risco. De 1% a 3,9%, médio risco. Acima de 4%, alto risco.

Galeria de Fotos