Secretarias

Nota Fiscal

Transparência

Diário Oficial

Serviços

IPMQ

Plantas medicinais são pauta de encontro em Machadinha

A tarde desta sexta-feira (16) foi diferenciada na localidade de Machadinha. Em um bate-papo descontraído, os moradores aprenderam um pouco mais sobre plantas medicinais, sua importância, onde e como podem ser usadas e cultivadas. A atividade foi uma parceria da Prefeitura de Quissamã, por meio da Coordenadoria Especial de Cultura e Lazer, com o Instituto Federal Fluminense (IFF) – Campus Quissamã, e aconteceu no Memorial Machadinha.
A programação, desenvolvida pela professora de Biologia do IFF Nathália Bastos Lima de Andrade, contou com uma roda de conversa sobre os usos de plantas medicinais e um minicurso sobre a produção de fitoterápicos simples, envolvendo a produção de pomadas, sabonetes, tinturas e xaropes medicinais. Na ocasião, houve ainda a distribuição de informativos com descrição de algumas dessas plantas, entre elas o Guaco, Penicilina Vegetal, Hortelã Pimenta, Erva Cidreira Brasileira, Capim Limão, Saião, Alfavaca, Aroeira, Boldo Sete Dores e Erva Baleeira ou Acheflan.
A professora Nathália explica que a programação fez parte do projeto de extensão “Resgatando saberes Populares: processo participativo de Implantação de um Horto Medicinal no IFF Campus Quissamã”, que está em andamento na unidade de ensino. “Uma das etapas deste projeto consiste em visita às comunidades da região para troca de experiências e realização de oficinas de produção de fitoterápicos simples. Nesta ação, em Machadinha, promovemos uma roda de conversa sobre os usos de plantas medicinais e abordagens de como fazer sabonetes, pomadas, tinturas e xaropes medicinais. Foi uma tarde agradável e de muito aprendizado”, disse a professora.
As atividades foram acompanhadas também pelas alunas do Alycia Braga de Sá, do curso de Informática; Nicole Azevedo e Cecília Barcelos, do curso de Eletromecânica, que também estão envolvidas no projeto.
“Foi um momento de grande importância e que teve como objetivo resgatar e fomentar memórias afetivas do quilombo e potencializar informações e conhecimentos sobre plantas medicinais existentes em nossa cidade. E além da capacitação, posteriormente haverá possibilidade de geração de renda, através da confecção de sabonetes e pomadas com essas plantas”, ressaltou a coordenadora de Cultura e Lazer da Prefeitura, Amanda Fragoso.
Moradora de Machadinha, Janaína Pessanha participou das atividades e destaca a relevância da ação, que reuniu diferentes gerações. “Nós, jovens, não conhecemos muitas plantas medicinais e às vezes a temos em nosso quintal e por não saber de sua importância acabamos não cuidando. Nesse encontro tivemos a oportunidade de conhecer diversas espécies e seus benefícios. Foi uma oportunidade para adquirir muitos conhecimentos e que nos chamou a atenção, pois, nos dias atuais, acostumamos muito com remédios industrializados, enquanto que com as plantas medicinais podemos obter medicamentos naturais, e sem conservantes. É uma maneira de resgatar esses costumes, pois nossos antepassados faziam e fazem o uso de várias ervas, sabiam para que serviam cada uma delas”, ressaltou.

Galeria de Fotos