Rua Conde de Araruama, 425 – Centro Quissamã – RJ – Cep: 28.735-000

Tempo Agora

Secretarias

Nota Fiscal

Transparência

Diário Oficial

Serviços

Ouvidoria e E-sic

III Conferência de Cultura destaca a importância da participação popular

A importância da participação popular no processo decisório das políticas públicas de cultura, foi a tônica da III Conferência Municipal de Cultura, nesta quarta-feira (24), no Centro Cultural Sobradinho. Não à toa, o tema da conferência levantou a tese da participação popular, no pós-pandemia. Para a secretária de Cultura e Lazer, Kitiely Freitas, os fazedores de cultura precisam estar no centro das decisões, especialmente no que diz respeito aos investimentos.
Logo no início da Conferência, o secretário Chefe de Gabinete, Luciano Lourenço, fez um anúncio importante para o setor: em 2022, o Orçamento da Cultura será três vezes maior que o de 2021. Representando a prefeita Fátima Pacheco, que cumpre agenda no Rio de Janeiro, fechando parcerias para Quissamã, o secretário Chefe de Gabinete reafirmou a disposição da atual gestão em investir cada vez mais no setor cultural.
– A cultura merece, sim, três vezes mais, quatro, cinco vezes mais, se for possível. Nós investimos em cultura, e vamos investir ainda mais, porque Quissamã respira cultura. E a participação popular é fundamental nesse processo, afirmou.
Kitiely Freitas, secretária de Cultura e Lazer, defendeu a proposta da administração para os próximos anos, lembrando a importância da reativação do Conselho Municipal de Cultura e a realização do Fórum, no último dia 17, com a eleição dos integrantes do Conselho, empossados durante a Conferência. A programação de Natal, assim como as iniciativas voltadas ao desenvolvimento, por meio do fomento à Cultura e ao Turismo, também mereceram destaque:
– O projeto é inédito na região e Quissamã será referência de destino turístico natalino. O município, mais uma vez, será o primeiro no Norte Fluminense a inovar com o Natal Luz, que não se resume à uma decoração natalina apenas, é uma maneira lúdica de acariciar os moradores nesse momento pós-pandemia e fomentar o turismo, incentivando a cadeia produtiva.
Durante o evento, que contou com a participação de aproximadamente 230 pessoas, de diversos segmentos culturais, foram debatidas dez propostas para o desenvolvimento do setor cultural no Município. Kitiely falou também sobre a salvaguarda do patrimônio material da cultura quissamaense, mas pontuou sobre a importância do patrimônio imaterial, que durante anos ficou esquecido. A respeito do patrimônio histórico e a importância da preservação de Machadinha no contexto histórico e cultural, ela falou das ações em andamento. “já está acontecendo um processo licitatório para a revitalização da capela de Machadinha. A pintura das senzalas já foi concluída, o trabalho de descupinização também está em andamento, existe um diálogo sobre a revitalização do armazém, entre outras questões”, afirmou Kitiely.
Na Conferência, foram mapeados a produção cultural do Município, discutidos suas peculiaridades, bem como estabelecidas prioridades e metas. O evento contou com apresentações culturais das alunas do Centro Cultural Sobradinho. Laís Barcelos, dedilhou o tema da Conquista e Glória, ao piano. Melissa Silva, aluna da professora Dalva Pessanha, se apresentou ao som de um chorinho, evoluindo no balé clássico. Também tiveram apresentações de dança de salão, hip hop, show com professores do Sobradinho e um artista fazendo caricaturas.
Segundo Adenilson Honorato, representante da secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, o Governo do Estado tem como principal finalidade democratizar a cultura e promover a difusão para o interior. Adenilson citou o exemplo de Machadinha: “Machadinha é um lugar mágico, com uma energia e ancestralidade, sem igual, tanto é que a casa grande caiu, mas ficaram de pé aqueles que fizeram o alicerce do Brasil, os negros. E eu tenho muito orgulho em dizer isso”.
O evento contou também com a palestra de Rômulo Salles, chefe de Gabinete da secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa. Segundo ele, a participação popular no processo de gestão é fundamental para atingir os objetivos: “um exemplo claro disso é que há 22 anos, o Fundo Estadual de Cultura não era usado em função da burocracia. Quando conseguimos desburocratizar essa questão, começamos a conversar com os fazedores de cultura de todos os municípios e aqui estamos para fazer história”, ressaltou Rômulo.
Katia Macabú, Diretora Executiva de Artes e Culturas da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima, em Campos dos Goytacazes, falou sobre a cultura popular em sua palestra.
A mesa de abertura do evento foi formada pela secretária de Cultura e Lazer, Kitiely Freitas, pelo Assessor Especial de Relações Intermunicipais e Projetos Especiais do Governo do Estado, Adenilson Honorato; pelo secretário de Governo, Adeílson Lopes. pelo secretário-chefe de Gabinete, Luciano Lourenço e pelos vereadores Aílson Belarmino (presidente da Comissão de Cultura da Câmara), Fábio Castro e Simone Flores (vice-presidente da Câmara).

Galeria de Fotos