Rua Conde de Araruama, 425 – Centro Quissamã – RJ – Cep: 28.735-000

Tempo Agora

Secretarias

Nota Fiscal

Transparência

Diário Oficial

Serviços

Ouvidoria e E-sic

Fórum aborda o acolhimento de crianças e adolescentes

A Prefeitura de Quissamã promoveu, nesta quarta-feira (27), o I Fórum de Acolhimento de Crianças e Adolescentes. A programação, organizada pela secretaria de Assistência Social, foi realizada no auditório da sede do Executivo e contou com apresentação lúdica, palestras, apresentação do Teatro de Sombras, com o tema “Adoção”; depoimento de jovem ex-acolhida e vídeo/palestra.
As palestras foram proferidas por Lucília Lamóglia, conselheira tutelar, com o tema “Acolhimento Institucional como Medida de Proteção”; Ivana Souza Pessanha, coordenadora do Acolhimento Institucional, sobre “Perfis e Trajetórias do Acolhimento Institucional Dr. Pery Gonçalves”; e Caio Schaffer, assistente social do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, sobre “Adoção – Desafios Possibilidades”. Já o vídeo/palestra, abordando “Adoção e Reintegração Familiar – Questões Relevantes, foi com o Dr. Sávio Bittencourt, Procurador de Justiça do Ministério Público-RJ, escritor e pai adotivo.
Participaram das atividades, a prefeita Fátima Pacheco, a secretária de Assistência Social, Tânia Regina Magalhães; a subsecretária Rosane Barros; o subsecretário de Governo, Edmilson Santos; o secretário de Educação; Róbisson Serra; a Assessora Especial de Desenvolvimento Econômico de Macaé, Ana Cristina Reis; o presidente da Câmara Municipal de Quissamã, Luciano Pessanha, e o vereador Leone Cordeiro.
Fátima reforçou que traz muito na função de prefeita sua experiência de mais de 30 anos como assistente social. “São muitos os motivos que levam uma família a institucionalizar suas crianças e não cabe a nós apontar dedos ou julgar. Como prefeita, ao lado de nossa equipe, e como gestores de políticas públicas cabe implementar ações, criar programas, ampliar o orçamento para que nossas crianças e adolescentes tenham total proteção e todos os seus direitos garantidos. A unidade de acolhimento, desde que foi inaugurada, em 2002, teve um olhar atento da Prefeitura, e em 2017, quando assumimos o governo, fizemos vários investimentos no espaço físico e também na equipe. Na oportunidade, gostaria de reforçar e agradecer toda parceria, em especial com o Judiciário, com o Ministério Público e toda equipe trabalhando com a Prefeitura. Isso nos dá muita segurança e digo que ofertamos, enquanto Prefeitura, ações que muitas cidades não oferecem, sempre priorizando o cuidado com as pessoas. Como mãe, prefeita, assistente social e moradora da cidade, continuarei trabalhando e buscando, cada vez mais, garantir os direitos das nossas crianças e adolescentes”, frisou.
A secretária de Assistência Social, Tânia Regina Magalhães, agradeceu a presença de todos, dizendo que para lidar com as crianças, o coração precisa estar cheio de amor e de gratidão a Deus. “Me emociono ao falar da assistência e do acolhimento que oferecemos no município. Para trabalhar na área é preciso gostar muito do que se faz e hoje, 17 anos após a criação do espaço, estamos realizando esse primeiro Fórum, pois entendemos a importância de refletir sobre a temática. Penso que o acolhimento é uma fase de reconstrução, é um espaço de acolhida e essa reflexão que a gente vê todos os dias”, destacou.
“É preciso falar sobre o tema e esse Fórum é um marco da gestão da prefeita Fátima. Com 17 anos do Acolhimento Institucional, essa é a primeira vez que o Município teve esse olhar diferenciado para nossas crianças e adolescentes. Agradeço muito à minha equipe, porque sem eles não teríamos chegado até aqui”, ressaltou Ivana Pessanha.
Róbisson Serra, secretário de Educação, destacou que com 30 anos de magistério observa a importância do acolhimento. “Ficamos muito felizes por estar em um governo que a cada dia tenta melhorar a vida das pessoas e é isso que a gente vem fazendo. Que possamos ser exemplo para esses jovens, que muitas vezes estão tão carentes de afeto, de um abraço. Sabemos o quanto um abraço verdadeiro ajuda e pode salvar vidas. Que sejamos anjos na vida desses jovens e crianças para que trilhem o caminho do bem”, pontuou.
Representante de Macaé, Ana Cristina Reis agradeceu o convite. “Foi uma honra estar aqui e participar desse momento único diante de tudo que se vem vivendo, politicamente, no país. Além de todo referencial teórico, aporte técnico e científico sobre acolhimento, precisamos ter o que é mais importante para lidarmos com crianças nessa situação, que é de fato o amor. Então a gente vem de um momento de muito estudo, de muito trabalho, e precisamos passar para as crianças que somos apaixonados por elas. Pude observar que esse olhar e assistência às crianças é exercida muito bem no município de Quissamã, e dizer que me sinto muito honrada por estar nessa mesa”, completou.

Galeria de Fotos