Rua Conde de Araruama, 425 – Centro Quissamã – RJ – Cep: 28.735-000

Tempo Agora

Secretarias

Nota Fiscal

Transparência

Diário Oficial

Serviços

Ouvidoria e E-sic

Coordenação do Bolsa Família presta informações sobre o pagamento do programa federal Auxílio Brasil

A Coordenadora do Bolsa Família da Secretaria Municipal de Assistência Social de Quissamã, Adília Carla, participou de uma live com a prefeita Fátima Pacheco, na manhã desta sexta-feira (12), esclarecendo sobre o pagamento, a partir de novembro, do Auxílio Brasil – novo programa do Governo Federal que substitui o Bolsa Família, criado há 18 anos. Em todo o Brasil, o Bolsa Família contempla 14 milhões de famílias, e em Quissamã, 1.769 famílias.
– Esse é um tema extremamente atual, já há uma inquietação no Brasil. O Governo Federal está fazendo mudanças no modelo do programa, acabou com o Bolsa Família e está em fase de implementação do programa chamado Auxílio Brasil. Ainda é tudo muito novo. O detalhamento desse programa o Município não tem ainda. O programa social é importante transferência de renda, principalmente num período de pandemia, quando 30 milhões de brasileiros estão abaixo da linha da pobreza, destacou a prefeita Fátima Pacheco, lembrando que em Quissamã há oito programas sociais em vigor.
Segundo Adília, as informações obtidas junto à Coordenação no Estado do Rio, do Cadastro Único do Bolsa Família, são de que o pagamento começa no dia 17 de novembro e seguirá o mesmo cronograma, iniciando com o NIS final 1.
– Nesse primeiro momento, em conversa com a coordenação no Estado, nos foi passado que as famílias que receberam o Bolsa Família em outubro vão receber o Auxílio Brasil em novembro. A transição vai ser automática. Os valores ainda estão sendo definidos. Assim como o Bolsa Família, o Auxílio Brasil tem variáveis, de acordo com a composição familiar, que determinam o valor. Não existe valor fixo, explicou a coordenadora.
Novos cadastros
Segundo anúncio feito pelo governo federal, a proposta do Auxílio Brasil é ampliar a cobertura em todo País para 17 milhões de famílias, porém não há previsão de novas concessões.
– A regra continua a mesma. Precisa ter o Cadastro Único do Governo Federal e estar atualizado. Não há necessidade de correria para a atualização, porque será avaliada a situação de acordo com o que foi declarado. Quem não tem o cadastro, pode fazer. Será avaliado, mas não há previsão de concessão. Novos benefícios serão avaliados de acordo com a liberação de vagas pelo Governo Federal para cada município, disse Adília Carla, Coordenadora do Bolsa Família da Secretaria Municipal de Assistência Social de Quissamã.
No Município, são cinco mil famílias inseridas no Cadastro Único e algumas estão na fila de espera para serem contempladas pelo até então pelo Bolsa Família e vão continuar para o Auxílio Brasil.
– Aquele cadastro está válido, não precisa retornar. Vamos aguardar as resoluções do Governo Federal e as normativas, concluiu a coordenadora.

Galeria de Fotos