Rua Conde de Araruama, 425 – Centro Quissamã – RJ – Cep: 28.735-000

Tempo Agora

Secretarias

Nota Fiscal

Transparência

Diário Oficial

Serviços

Ouvidoria e E-sic

Bienal do Livro movimenta comunidade escolar de Quissamã

A Bienal do Livro, maior evento literário do país, está movimentando a comunidade escolar de Quissamã. Com lançamento de livros de Zaira Gonçalves, professora da rede municipal de ensino, no primeiro dia do evento, e visita de alunos de três escolas, a Bienal desperta, em todos, a vontade de ler e, para estes, a presença de autores consagrados é um bônus a mais. Acontecendo até o próximo domingo, no Riocentro, na Barra da Tijuca, a iniciativa oferece, além dos livros, atrações como debates e possibilidade de interação com personalidades e escritores.
Na última sexta-feira (30), primeiro dia da Bienal, os alunos da Escola Municipal Miguel Ângelo da Silva Santos participaram das atividades oferecidas e tiveram a oportunidade de adquirir livros, principalmente nos estandes que ofereciam obras a R$ 5, R$ 10 e R$ 15. No sábado (31), um ônibus levou professores e, nesta terça-feira (3), foi a vez dos alunos do Ciep Municipalizado Dr. Amílcar Pereira da Silva e da Escola Municipal Maria Ilka de Queirós e Almeida viajarem para a festa.
“O objetivo da visita é intensificar o contato dos estudantes com o mundo da literatura, além de dar a eles a oportunidade de participar de atividades que promovam o debate e o encontro com autores. No caso dos professores, o evento contribui com o trabalho pedagógico desenvolvido nas unidades, abrindo novas possibilidades para que possam trabalhar a literatura no ambiente escolar”, informou o secretário de Educação, Róbisson Serra.
Zaira, que é professora de Educação Física e alfabetizadora, foi convidada pela sua editora, a Drago Editorial, a lançar a coleção de sete livros infantis ‘Conto em Verso’, no dia de abertura da feira, e a mesma continua exposta no estande da empresa, que continuará a fazer a divulgação da obra. Segundo ela, a coleção ‘Conto em Versos’ surgiu de uma brincadeira na Coordenação de Gestão Pedagógica (Cogep) e não tinha a pretensão de ser uma publicação. Isso porque ela já escrevia há algum tempo e nunca publicou nada. Mas a brincadeira tomou forma e com incentivo dos amigos, saiu do arquivo para os livrinhos.
“Sempre pensei no trabalho do escritor como uma arte sujeita a críticas, indagações e exposição do seu eu mais íntimo, pois em cada linha deixa um pouco de si. Quando menina escrevia, mas tinha vergonha, então escondia. Mas a maturidade traz uma tranquilidade muito grande que descortina a inibição. Escrevi, tá escrito e pronto. Antes, não pensava em me aposentar, hoje penso em me aposentar para ter tempo de escrever. Através da linguagem escrita, as ideias são colocadas sem as interrupções comuns da linguagem falada, possibilitando a reflexão, revisão e conclusão do que se pretende dizer. A conclusão de um livro já é uma conquista mesmo que não seja editado. O lançamento de uma obra, por mais simples que seja, tem sim sabor de conquista! Fui a primeira autora da editora a expor esse ano e tive meu momento marcado pelo companheirismo dos homenageados, familiares e amigos, que me prestigiaram”, destacou a professora.
Segundo Zaira, a coleção ‘Conto em Versos’, apesar de ter surgido da brincadeira, provoca um diálogo do passado com o presente, fazendo uma projeção do futuro. “Menina Mirela e Moleque Djan retratam vidas reais, que foram enriquecidas pela imaginação, desenhando um final feliz e próspero aos personagens. Linda Laila e Karen Caretinha têm muito amor materno envolvido, a primeira é minha filha e a segunda, poderia ter sido. Dupla de Z e Adê Reluz são minhas queridas amigas. Zanza e Zefa formam a dupla, mulheres que já fizeram de tudo na Educação e ainda se reinventam, criando e contando histórias. Adê, uma sumidade na evolução da escrita, com a incrível competência e habilidade de se manter em harmonia com o ambiente, tendo sempre uma palavra amiga. Roger Mor… histórias da vida real, daria um livro fantástico mas não seria de literatura infantil. Os livros conversam entre si no tocante aos valores, aos meios de comunicação e valorização das habilidades, das crenças, das dificuldades e possibilidades que cada personagem encontrou na vida, nos caminhos que escolheu seguir. São fortes, são vencedores, são meus heróis!”, completou a autora.

Galeria de Fotos