Rua Conde de Araruama, 425 – Centro Quissamã – RJ – Cep: 28.735-000

Tempo Agora

Secretarias

Nota Fiscal

Transparência

Diário Oficial

Serviços

Ouvidoria e E-sic

Auxílio Brasil é tema de live com prefeita, secretária e gestoras do CadÚnico

Nesta quarta-feira (01), a prefeita Fátima Pacheco participou de live com a secretária de Assistência Social, Tânia Magalhães; coordenadora estadual do Cadastro Único, Ane Lima e técnicas do CadÚnico, Adília Carla e Simone Barreto. O objetivo foi esclarecer as 1.769 famílias do município, contempladas com o Bolsa Família, as regras já disponibilizadas do novo programa Auxílio Brasil.
– A pandemia agravou o desemprego, a pobreza e, hoje, no Brasil são 30 milhões de desempregados, 19 milhões de pessoas abaixo da linha da pobreza, que não fazem as três refeições diárias. Falar de programa de transferência de renda, neste momento, é tão importante quanto falar da merenda na escola e do respirador no hospital. Não se apeguem a fake news, em caso de dúvidas procurem o CRAS, frisou a prefeita Fátima Pacheco.
A coordenadora estadual CadÚnico reforçou que a transição do Bolsa Família para Auxilio Brasil, na folha do mês de novembro, foi automática e explicou que o Auxílio tem uma nova estrutura de benefício básico para todas as famílias, acrescido das variáveis.
– O novo programa traz uma formatação de benefício da Primeira Infância, de zero a 36 meses; depois de quatro anos a 21 incompletos. Essa faixa foi ampliada, antes era até 15 anos. Neste primeiro mês recebemos de algumas famílias informações de valores reduzidos, mas é preciso saber como está a composição familiar, como receberia se fosse Bolsa Família considerando a formação familiar e também o cadastro atualizado no Cadúnico, explicou a técnica.
Sobre novas concessões, Ane Lima disse que o informe do Ministério da Cidadania foi de novos benefícios para o mês de dezembro. “Ainda não tivemos acesso à folha, não conseguimos precisar se isso de fato ocorreu e quantos são os novos beneficiários. Como houve alteração de faixa da renda (por pessoa) para acesso ao programa, passou com o Auxílio Brasil de R$ 100,01 até R$ 200, teve sim uma ampliação para concessão”, concluiu.
A técnica ressaltou ainda a importância dos municípios analisarem a taxa de cobertura de beneficiários em seu território, a composição das famílias com os critérios de renda e a situação dos cadastros destas famílias.
A secretária Tânia Magalhães destacou que Quissamã possui vários programas de transferência de renda.
– Independente do Bolsa Família, para os programas municipais colocamos a inscrição no Cadúnico como porta de entrada. É uma prerrogativa que não abrimos mão, uma forma que temos de acompanhar as famílias e fazer uma leitura socioeconômica”, disse a secretária.
A coordenadora do CadÚnico em Quissamã, Adília Carla, destacou que a principal dúvida dos beneficiários diz respeito ao valor recebido em novembro. Em caso de dúvidas, os beneficiários devem procurar a coordenação do programa no CRAS I, no Sítio Quissamã, localizado na Rua Gessy Barcelos, 43.
– Estamos orientando a todos de acordo com as informações disponíveis. Com relação, ao valor, explicamos que trata-se de um programa novo e que tem uma nova forma de avaliar a família de acordo com o Cadatsro Único”, reforçou.
Ex-coordenadora do CadÚnico da Prefeitura de Campos, Simone Barreto, parabenizou a prefeita pela iniciativa.
– Estamos vivendo um contexto difícil e requer dos gestores debruçar cada vez mais sobre essas questões. E quando falamos de CadÚnico, que é a porta de entrada para diversos programas, precisamos entender a importância de uma equipe capacitada, escuta qualificada. Parabéns a prefeita e sua equipe por promoverem essa live e, com isso, esclarecer e socializar a informação, disse Simone.

Galeria de Fotos