Rua Conde de Araruama, 425 – Centro Quissamã – RJ – Cep: 28.735-000

Tempo Agora

Secretarias

Nota Fiscal

Transparência

Diário Oficial

Serviços

Ouvidoria e E-sic

Assistência Social implanta o projeto Vozes da Pandemia

A secretaria de Assistência Social implementou uma nova frente de ações no combate à pandemia do Coronavírus. Tratar-se do projeto Vozes da Pandemia, destinado aos usuários do programa Renda Mínima. O objetivo é compartilhar as experiências, promover a informação, nesse momento onde o isolamento e outras medidas de prevenção são fundamentais. A ação começou na última quarta-feira (28/7) e contou com a participação da Vigilância em Saúde.
“Queremos ressaltar que é uma iniciativa muito importante, neste momento de pandemia, de muitas angustias, preocupações, ter um momento de escuta. Nesta primeira fase, priorizamos Caxias, que é um bairro numeroso, onde o índice de contaminação tem se mostrado alto. Estamos realizando os encontros de forma gradativa, respeitando o distanciamento e todas as orientações dos órgãos de saúde. Aos poucos, vamos estendendo para os demais bairros. Abrir esse canal de conversa é importante, tem feito a diferença no dia-a-dia, e no combate ao Coronavírus”, disse a secretária de Assistência Social, Tânia Magalhães.
“Os encontros ocorrem às quartas-feiras, na nova sede do Programa do Idoso, que é um local aberto, arejado, onde tomamos todos os cuidados com os nossos usuários. A ideia do projeto é proporcionar uma troca de experiências, ouvir o usuário, suas dúvidas, e orientá-lo, não só em relação à pandemia, mas em qualquer ponto de angústia”, concluiu a coordenadora do Programa de Renda Mínima, Ligia Nogueira.
“É de extrema importância proporcionar a esses usuários da Assistência um espaço de fala, e, portanto, de escuta. Escutá-los nas suas inquietações, nas suas angústias, nos seus medos. Não é um espaço de julgamentos, pois estamos todos vivendo um momento de incertezas. A proposição desse trabalho, é que ao terem esse espaço, tenham como efeito, a possibilidade de se apropriarem desse novo cenário, dessa nova realidade da vida com a pandemia. De entender que flexibilização não significa o fim da pandemia. Que cuidar de mim, significa cuidar do outro. Cuidar do outro, significa cuidar de mim. É uma via de mão dupla. Que distanciamento social/físico não significa rompimento dos laços. Ao contrário, pode ser uma oportunidade para se repensar e fortalecer estes”, concluiu Reneza Rocha, psicóloga do programa.

Galeria de Fotos