Secretarias

Nota Fiscal

Transparência

Diário Oficial

Serviços

IPMQ

Roda de conversa sobre doenças raras é realizada em Quissamã

A Prefeitura de Quissamã, por meio do Programa de Doenças Crônicas e Doenças Raras da Secretaria de Saúde, realizou na manhã desta terça-feira (22), no varandão do Centro de Saúde Benedito Pinto das Chagas, uma roda de conversa sobre o tema, com o reumatologista Leonardo Manhães, a equipe da Estratégia de Saúde da Família – ESF, fisioterapeutas, usuários para esclarecem dúvidas e pacientes.
O evento teve como principal objetivo aumentar a consciência sobre as doenças raras, melhorar o acesso ao tratamento e a assistência médica dos indivíduos. Atualmente o programa conta com 30 pacientes em acompanhamento com 27 tipos de Doenças Raras. Sheila Batista falou sobre as práticas integrativas e as ervas medicinais.
“Após uma peregrinação por médicos diversos e sem sucesso, consegui finalmente receber o meu diagnóstico depois que fui encaminhada ao Programa de Doenças Raras. Gostaria de agradecer a equipe pelo empenho e zelo que sempre tiveram comigo e dizer que foi por causa deles, que vivem o programa diariamente, que os médicos puderam fechar meu diagnóstico de Síndrome de Ehlers Danlos”, declarou Lesley Mussi das Cruz Alves.
A coordenadora do Programa de Doenças Crônicas e Doenças Raras, Andréa Oliveira, falou sobre a importância do programa. “Estamos aqui para esclarecer as dúvidas, angústias e medo dos pacientes. Temos várias funções extras, além dos cuidados referentes à medicina. Não foi à toa que o Programa de Doenças Crônicas e Doenças e Raras teve um trabalho premiado pelo Conselho Nacional de Secretarias municipais de Saúde – CONASEMS e é um orgulho participar desse grupo tão atuante”.
Rodrigo Batista Xavier tem Síndrome de Founier e começou seu tratamento na USF do Matias. “A doença é uma bactéria adquirida, que ao descobrir, fiquei muito assustado, mas fui acolhido por todos do programa e pude passar pelo tratamento, utilizando uma bolsa de colostomia, com mais tranquilidade. Atualmente eu já fiz a reversão em Campos e estou bem, graças a Deus e também a coordenadora Andreia, que me ajudou do início ao fim”.
“Mesmo que a doença rara, que são autoimunes, não tenham cura, com o diagnóstico precoce e o devido tratamento da equipe que é incansável, os pacientes terão mais qualidade de vida. Nesse ponto, o Programa é fundamental e devemos divulgá-lo cada vez mais. Vale ressaltar que a fitoterapia e as ervas medicinais também agregam valor ao tratamento. Quero aproveitar para parabenizar o município de Quissamã, que é um dos poucos que possuem esse programa”, exaltou o reumatologista, Leonardo Manhães.

Galeria de Fotos